20 janeiro 2010

Por que você pratica yoga?

Este post poderia ser considerado um anti-post ou, talvez, o único que realmente tem alguma relação com o yoga, já que ele propõe que você responda com sinceridade a pergunta do título em vez de ater-se às coisas que digo. "Com sinceridade" significa não confundir a própria voz com aquilo que hoje é divulgado e entendido como yoga; significa, em vez disso, compreender o yoga para si mesmo, ainda que você se considere um iniciante ou que sua prática seja apenas isto ou aquilo.

A mim pouco importa que você pratique somente asanas ou que se limite a estudar os textos tradicionais ou, ainda, que apenas medite nas primeiras horas do dia. O que me interessa é saber o que leva você, praticante de yoga, a fazer o que faz. Se estiver à vontade -- e espero que esteja -- fale algo sobre sua prática.

Quem quiser, poste sua resposta na caixa de comentários.

A todos, muito obrigado.

4 comentários:

Eliane disse...

Chris,

Me desculpe por contornar a sua pergunta colocando outras em seu lugar. Talvez isso responda a sua questão, respondeu à minha, enquanto eu praticava e pensava no seu post.

Se você perguntasse para um grupo de pessoas porque o interesse em aprender matemática, o que estaria sondando? Sendo a matemática uma ciência, um conhecimento, um aprendizado ( conforme informa o wikipedia ), e sendo que mathēmatikós (μαθηματικός) significa apreciador do conhecimento, a comparação não parece compatível? Todos nós aprendemos matemática na escola, mas quantos foram capazes de compreender o alcance desta ciência? Quantos serão capazes de examinar padrões abstratos, tanto reais como imaginários, visuais ou mentais, conforme é o trabalho do matemático?

Um matemático faria esta pergunta para os seus alunos?

Abraço

Christian disse...

Eliane,

eu não sei se entendi suas colocações, porquanto se trata de duas áreas -- matemática e yoga -- completamente distintas. Digo isso não apenas por aquilo que elas são (tradicional ou classicamente), mas também pelo que foi feito delas nos últimos anos (a matemática como disciplina obrigatória que não suscita real apreciação do conhecimento, o yoga como sinônimo de ginástica ou de qualquer uma de suas partes).

A incapacidade de apreciar o conhecimento e de examinar padrões abstratos -- na matemática -- não deveria dispensar o estudante de buscar essa apreciação e, mais ainda, não deveria dispensar o professor de dizer aos alunos que essa apreciação e esse exame são os "objetivos" da matemática. De forma análoga, não é bom tomar o yoga como sinônimo de qualquer coisa que não seja o yoga.

Não vejo um matemático fazendo perguntas desse tipo para seus alunos -- talvez por isso hoje a matemática seja o que ela é.

Como eu disse, não sei se entendi totalmente suas colocações. Talvez você queira dizer mais algumas coisas sobre o que você disse e sobre o que eu, ainda que confusamente, acabei de dizer.

Obrigado, Eliane.
Abraço!

Eliane disse...

Oi Chris,

Está um pouco confuso mesmo, você começa dizendo que são duas áreas distintas e depois faz um paralelo sobre a adulteração de ambas.

Para ter mais certeza do que digo, fui buscar na internet quem me faz coro. Mesmo antes, conferi para ver se cabia tal analogia. Agora, fico sabendo de um matemático que comparou seu aprofundamento nessa matéria com o yoga. Também o Osho dizia que o yoga é uma ciência pura como a matemática, a física ou a química. O meu ponto é a complexidade dessas ciências, que levam à um conhecimento profundo das leis universais, e que também servem a muitos outros propósitos. Sabemos que o fato dessas ciências terem se desviado é um sinal do nosso tempo, mas sempre vão existir aqueles que descobrem a alquimia, que se maravilham com as descobertas da fisica avançada ou da matemática.

A meu ver, não faz sentido uma pergunta como a sua porque são tantos níveis de resposta, e, além disso, acredito que, em relação ao yoga, você pode dizer que resolveu praticar por motivos de saúde, ou mesmo para ter um corpo sarado e em seguida pode vir uma experiência que vai muito além. Também desconfio de uma espécie de ideologia de bons propósitos, de uma certa doutrinação que não deve ter existido na origem do yoga. Mas este é o meu ponto de vista, que talvez não esteja alinhado com as suas circunstâncias.

Abraços.

Christian disse...

Oi Eliane.

O post surgiu por três motivos. Primeiro, realmente saber o que é que tem movido as pessoas à prática -- o que de algum modo sinalizará o que elas entendem por prática, e conhecer isto é o segundo motivo. Terceiro, saber se há alguém que em sua prática busca a "alquimia" do yoga ou (uma curiosidade muito pessoal) cujo objetivo guarda alguma relação com o que as escrituras ensinam.

Nos diversos níveis de resposta é possível que se vislumbre algum ponto comum. A priori, os diversos níveis de resposta e de prática coincidem em pelo menos um ponto: todos afirmarão que o que praticam é yoga. Com isso é claro que não pretendo julgar a prática alheia, mas tentar compreender o que aproximaria respostas tão distintas.

Abraço!