31 outubro 2012

Quanto Hathayoga há nos sistemas modernos?

Hã?

Perguntaram-me quanto do autêntico Hathayoga está representado nos sistemas modernos que recebem o nome de yoga. Minha resposta foi a seguinte.

Yoga é o mesmo que samadhi. Samadhi é o mesmo que meditação profunda sem movimentos. Em outras palavras, estamos falando de parada total. Isto é o que define o yoga; isto é o necessário para que alguma coisa receba o nome de yoga.

Porém, para ser Hathayoga são necessários outros conhecimentos e um treino físico intenso. 

O Hathayoga consiste na prática do samadhi e na prática de outras elementos específicos. Não é Hathayoga se não houver samadhi. Samadhi é unmani, ou simplesmente o estado de Rajayoga.

Quais são os elementos específicos? Além do samadhi, outras três coisas são importantes:

1) tapasya
2) satsang
3) técnicas

Para tornar as coisas mais claras, vamos atribuir graus de importância que possam qualificar esses itens.

Se considerarmos que o Hathayoga perfaz 100%, o samadhi teria uma importância correspondente a 50% desse total. Os outros três itens correspondem aos outros 50% de importância; dividido por três, temos aproximadamente 16% de importância para cada item:

1) 16% de importância para as tapasyas.
2) 16% de importância para o satsang
3) 16% de importância para as técnicas

Estes últimos 16% estão divididos em várias partes:
1) yamas
2) niyamas
3) kriyas
4) sukshma vyayama
5) asanas
6) pranayamas
7) mudras
8) laya

Da importância total deste itens somados, os mudras correspondem a 1/3 de importância e os laya, a outro 1/3. Restam assim 1/3 desse total (que em si já correspondiam apenas a 16% do Hathayoga). Asanas, pranayamas, kriyas, yamas, niyamas e sukshma vyayama somam, portanto, 5,3% da importância total do Hathayoga. 

Desses 5,3%, a metade da importância pode ser atribuída aos pranayamas. Restam 2,65% de importância atribuída a asanas, kriyas, yamas, niyamas e sukshma vyayama. Destes cinco últimos itens, podemos admitir que os asanas são os mais importantes. Então, dividimos os 2,65% restantes da seguinte forma:

1) asanas com 1% de importância
2) kriyas com 0,55%
3) yamas e niyamas com 0,55%
4) sukshma vyayama com 0,55%

Transformar isso em um gráfico facilitará a visualização das ordens de grandeza:



Você terá que clicar na imagem para ampliá-la e poder visualizar as letrinhas miúdas do canto inferior direito...

Em relação a estes meus cálculos, alguns mestres indianos divergem apenas sobre a importância atribuída aos pranayamas. Muitos acham os pranayamas muito importantes; o que digo a eles é que os pranayamas são fundamentais para os iniciantes, mas os iniciantes não têm acesso aos 100% do Hathayoga. Estes 100% referem-se a uma totalidade que só pode usar o jivanmukta como referência. E para a prática pessoal do yogin plenamente desperto, totalmente realizado no yoga, apenas o samadhi é importante -- yogins da tradição Natha poderão confirmar os outros valores.

O yoga moderno ou, mais precisamente, os sistemas disciplinares inspirados no Hathayoga sequer incluem os asanas em suas rotinas práticas. Nestes sistemas as posturas físicas não chegam a constituir asanas; até isso é praticado da forma errada no Ocidente. Com isso, a prática postural dos sistemas modernos nada mais é do que sukshma vyayama, um conjunto de técnicas bastante eficientes como preparação para algumas das outras técnicas do Hathayoga. Usando a expressão das artes marciais, o sukshma vyayama pode ser considerado a «faixa branca» do Hathayoga.

Vimos acima que o sukshma vyayama corresponde em importância a aproximadamente 0,55% do Hathayoga, tal como criado por Gorakshanath -- o que equivale a dizer que 0,55% é o total de Hathayoga contido nos sistemas modernos.

Um zoom no gráfico mostrado acima pode ajudar:



(Clique na imagem caso precise ampliar)

Se você é um professor de um destes sistemas modernos, a explicação que expus aqui é uma dica para você procurar aprender o certo ou então ir plantar alfaces.

Nenhum comentário: